Bagé, 06 de dezembro de 2021 - Jose Walter Lopes Advogados Associados S - contato@josewalterlopesadvogados.com.br - (53) 32411198
INICIO | ARTIGOS | ALBUM | FALE CONOSCO | ADVOGADOS ASSOCIADOS | QUALIFICAÇÕES |
 CANAIS
 :: Administrativo
 :: Advocacia
 :: Artigos Publicados
 :: CORRESPONDÊNCIAS - AVISOS
 :: CORRRETOR
 :: DECISÕES IMPORTANTES
 :: DESCONTRAINDO
 :: ELEIÇÃO 2009
 :: EM DEFESA DA ÉTICA E DA MORAL
 :: Habitacional
 :: Imprensa
 :: Leis - Regulamentos
 :: Notícias em Geral
 :: Novidades Jurídicas
 :: OAB EM AÇÃO
 :: PALESTRAS -
 :: Por que este Blog
 :: Prédios Históricos B
 :: PREPAR PARA
 :: Projetos de Leis
 :: PROVÉRBIOS POPULARES
 :: Reflexões
 NOVIDADES JURíDICAS - 14/12/2009      
JUZ NÃO PODE NOMEAR DEFENSOR EM PROC QUE JA TEM ADVOGADO CONSTITUIDO

Juiz não Pode Nomear Defensor a réu que tem Advogado

Há não muito tempo, na condição de Ouvidor Geral da OAB subseção de Bagé, recepcionamos reclamação de colega desta comarca, alegando interferência de terceiros da assistência de seus clientes, mais ou menos como ocorreu no caso abaixo comentado. Achamos esse fato um lamentável equívoco que, por nós, poderia ter sido melhor encaminhado. Agora, para nossa surpreza e satisfação nos deparamos com a noticia abaixo. Veja melhor.

"Ao nomear defensor dativo para acusado que já tinha advogado, um juiz de Mato Grosso deu motivo para que o processo criminal fosse suspenso. O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, concedeu liminar em Habeas Corpus a um homem que responde pelo crime de homicídio duplamente qualificado e suspendeu, até decisão final do STF, a sessão do Tribunal do Júri que julgaria o caso. A decisão teve como fundamento o princípio constitucional da ampla defesa.

Links Patrocinados

Conforme o pedido de HC, "ao invés de proceder à intimação do patrono [advogado] do paciente para oferecer suas considerações finais, o magistrado, acatando manifestação do Ministério Público, nomeou defensor dativo, não apenas para oferecer as ditas alegações finais, mas para patrocinar toda a defesa do paciente, sem se atentar para o fato de que existia defensor constituído".

Com esses argumentos a defesa tentou a obtenção de liminar em Habeas Corpus no Superior Tribunal de Justiça, mas lá o relator do caso indeferiu o pedido. Antes mesmo da análise de mérito por aquela Corte, a defesa recorreu ao Supremo. Ao analisar o caso, o ministro Celso de Mello afastou a aplicação da Súmula 691 do STF, segundo a qual "não compete ao STF conhecer de Habeas Corpus impetrado contra decisão do relator que, em Habeas Corpus requerido a tribunal superior, indefere a liminar".

Segundo Celso de Mello, em caráter extraordinário, o Supremo tem admitido o afastamento da Súmula 691, em hipóteses nas quais a decisão questionada divirja da jurisprudência predominante da Corte ou veicule situações configuradoras de abuso de poder ou de manifesta ilegalidade. Diante da excepcionalidade do caso, o ministro observou que cabe a análise do pedido ao STF. "Parece-me que a situação exposta nesta impetração ajustar-se-ia às hipóteses que autorizam a superação do obstáculo representado pela Súmula 691/STF", afirmou.

O ministro afirmou que a Constituição brasileira assegura a qualquer réu, "notadamente em sede processual penal", o direito de escolher, com liberdade, o seu próprio defensor. Celso de Mello citou em sua decisão jurisprudência da Corte, segundo a qual "o réu deve ser cientificado da renúncia do mandato pelo advogado, para que constitua outro, sob pena de nulidade por cerceamento de defesa".

Na avaliação do ministro Celso de Mello, o juiz não pode nomear defensor dativo de modo que viole o princípio constitucional da ampla defesa. Diante disso, deferiu a liminar para suspender a sessão do Tribunal do Júri até que o Supremo julgue o mérito do habeas corpus impetrado pela defesa. (HC 101.393)

Autor: STF "
"Extraído de: OAB - Maranhão - 11 de Dezembro de 2009

 Informativo
Cadastre-se e receba nosso informativo.
 Nome:
 
 Email:
 
  
 Links Úteis
Copyrigth @ 2006-2009 // Desenvolvido por Network Sistemas
Rua Hipólito Ribeiro 251 E / 99760286 / 96400-431
Bagé - RS / Tel. (53) 99760286
Contador de visitas